quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

O sentido de nossas vidas

Meus olhos cruzaram com os teus.
Um momento fugaz,
cheio de dores e expectativas.
Havíamos gasto quase todas as palavras,
tanto quando nos amamos,
como quando chegamos a nos odiar.

Amor e ódio,
o zero e o 360, na circunferência:
Tão próximo e, ao mesmo tempo, tão distantes!

Mas não ouve uma palavra dita,
mágoas sedimentaram nossa separação.
Bastaria tão pouco, mas fomos incapazes
de dizer o que guardamos, para perder
o sentido de nossas próprias vidas.
Postar um comentário