domingo, 22 de abril de 2012

Sem teu abraço


Tenho medo do teu silêncio.
Ele me acusa,
Amedronta,
Intimida.

Tenho medo do teu olhar vazio.
Ele provoca tristeza,
Desfaz meus caminhos,
Atira-me na solidão.

Tenho medo quando cruzas os braços, solitário.
Envolvem o nada,
Afastam quem deseja estar entre eles,
Faz com que fiques apenas em teu pequeno mundo.

Teu silêncio, teu olhar vazio, teus braços solitários.
Símbolos da frustração de que não fui capaz de te amar.
Sinal do quando é difícil transpor mundos
Em que a vida desenhou caminhos diferentes.
Postar um comentário