segunda-feira, 9 de abril de 2012

A garça que traz o dia

A última garça marca o azul do fim de tarde.
Não sei qual o seu destino,
embora possa saber onde é seu pouso.

Poucas nuvens nos céus,
apenas o suficiente para moldar os últimos raios do Sol.
E são cúmplices de um pássaro desgarrado
que busca seu bando, no início do Outono.

Resta o silêncio de um final de domingo,
onde o azul do céu faz uma incursão
entre o arrojado da tarde e o chumbo da boca da noite.

Os galhos da Nogueira têm seus últimos agitos com a brisa
e também se aquietam e trocam de cor
na medida em que a Natureza adormece.
No breu que aquieta o espírito e sussurra
que amanhã, novamente, a garça voltará aos céus.
Postar um comentário