terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Sorte e felicidade

O assunto era a mega sena da virada, que corre no final do ano, estimada em cerca de 200 milhões de reais. A Ana Maria Braga (junto com o Louro José), que me faz companhia nas manhãs da semana, enquanto faço minha ginástica, levou ao programa Mais Você (Rede Globo), o matemático Paulo, para falar a respeito das possibilidades existentes para que um sortudo ganhe o grande prêmio.
Começou estragando minha crença: a de que se fizer sempre os mesmos números, um dia, quem sabe ... Não é assim. Os números a cada concurso têm sempre a mesma possibilidade de serem sorteados. O que aumenta a chance de ganhar é aumentar também os números da aposta, o que também aumenta o valor da aposta, chegando a números que não cabem na minha carteira. Sugerindo, para isto, os famosos e sempre mal lembrados bolões.
Simpático, bem falante, carinhoso com a apresentadora e seu fiel escudeiro, Paulo terminou sua participação com uma preciosidade. "tudo o que traz felicidade, traz sorte". Felicidade é viver bem em família, se relacionar bem na vizinhança, ter amigos, realização no que faz. Esta é a maior sorte possível e imaginável.
Mas foi mais longe, dizendo que, muitas vezes, a simples presença de um cartão de aposta no bolso faz com que, quando o chefe solte o seu mau humor, em vez de estrilar com ele, possamos pensar: "amanhã vou ganhar na mega sena e não vou ter que aguentá-lo mais!".
Sua mensagem era de que nos alimentamos de sonhos, dos quais precisamos para viver. A mega sena é um deles. Em tempos bicudos, aponta uma possibilidade que para o matemático nunca chegou, pois não ganhou, ainda, nenhum prêmio. Fica a ideia de que a vida é assim mesma, uma luta pela felicidade que, em consequência, também traz a sorte.
Postar um comentário