sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Palavras


As palavras se refazem no sabor de serem partilhadas.
Dizemos “amor”, sentimos “saudade”, palmilhamos “caminhos”.
E cada uma delas parece se conter na ânsia de transbordar!
Mais do que o sentido que têm, mais do que a vontade que abarcam,
Mais do que o significado que lhes damos, está a exuberância que apontam.

Algumas delas foram vulgarizadas e já não têm o mesmo sabor.
“Amar”, significa olhar nos olhos e partilhar carinho.
“Saudade”, sentimento que se divide com uma lágrima nos olhos.
“Caminhos”, o infinito provocando que nos desacomodemos,
A um, dois, três, muitos...

Palavras: as ditas e as silenciadas.
Palavras: as que emocionam e as que decepcionam.
Palavras: insuficientes para que se diga tudo,
Mas complemento necessário para
A cumplicidade de um beijo,
A provocação de um carinho,
A ternura de um olhar.
Postar um comentário