sábado, 21 de maio de 2011

Por onde andam teus pensamentos?


Quando teus olhos
pararam fitando lugar algum,
senti que
partia um pouco de ti.

Teu sorriso, mesmo que continuasse envolvente,
já não era o mesmo:
havia uma marca do tempo e da dor.

Nos momentos em que teu espírito
deixava teu corpo,
tornavas mais claros os teus sentimentos.

Se as lembranças eram de alegria,
tua expressão era serena,
água límpida de um lago em final de tarde.

Se as lembranças eram de dor,
havia um ritual que contorcia
os traços de teu rosto.

Nunca pude partilhar
de teus sentimentos.
Mas sabes que fui solidário com
cada uma das expressões que marcavam tua face.
E queria-te de volta,
mesmo que teus sentimentos tivessem esculpido
mais uma ruga em teu rosto.
Postar um comentário