quinta-feira, 15 de março de 2012

Um gosto de saudade

Abro o armário de meus sonhos:
Desfilam minhas tristezas,
Afago minhas carências,
Contemplo minhas lembranças.

Cada um deles se desfez como se o tempo
tivesse corroído seu tecido
levando um pouco de sua cor
e deixando espaços para os remendos
Que só a vida sabe fazer.

No fio do tempo, há rostos
dos quais já não tenho todos os detalhes.
No ajuste com a realidade,
há o sentimento de que tive ganhos,
mas também as perdas que deixam um gosto de saudade.
Postar um comentário