sábado, 12 de fevereiro de 2011

Um momento de silêncio

Tuas mãos descansam
sobre as pregas da roupa que alisastes até a pouco.

Já foram tão ágeis:
Embalaram filhos,
acalentaram sonhos,
indicaram caminhos.

Hoje dormitam
no prenúncio da Eternidade.
Não querem saber do tempo,
já tiveram todos os registros da vida
e contentam-se, apenas, em viver um momento de silêncio.
Postar um comentário