segunda-feira, 6 de junho de 2011

O amor pelo próximo


A manhã de um professor que trabalha à noite faz o inverso do mortal comum. Portanto, minha manhã é light, inclusive com um tempo para o simulador de caminhada, acompanhado da Ana Maria Braga e do louro José. Entre as muitas notícias interessantes (algumas nem tanto, em especial as de tragédia), assisti a matéria sobre um garoto de 18 anos que revelou um câncer e precisava fazer quimioterapia.
Se para uma pessoa mais velha, já é difícil, imagina para quem está na chamada “flor da idade”, sabendo os resultados físicos, em especial no corte de cabelo, tão doloroso, quanto depressivo. A primeira sessão foi em uma clínica em Belo Horizonte, de onde voltou para a tentativa de uma vida o mais próximo possível do normal.
A surpresa veio quando foi assistir à primeira aula com seus colegas de 3ª série do segundo grau: o garoto parou na entrada da sala, entre aturdido, surpreso e emocionado. Todos os seus colegas também haviam raspado a cabeça, num gesto de solidariedade, carinho e demonstração de que estariam juntos.
Um deles chegou a dizer que conviviam desde os primeiros anos escolares, aproveitando as melhores e as piores situações. Quando foi divulgado que seu colega estava com câncer, aconteceu uma intensa comoção, que precisavam extravasar de alguma forma. E o jeito encontrado foi não deixar que a depressão do colega viesse por se sentir um diferente. Mas que todos se tornassem “diferentes” para melhor acolher as sua fragilidade deste momento.
Depois de acompanhar um caso semelhante, não tenho nenhuma dúvida da recuperação do menino. Um médico chegou a me dizer que três elementos eram fundamentais para uma recuperação: o tratamento profissional, a solidariedade dos amigos e da família, assim como a fé.  Parece que a este garoto não falta nenhum. O tratamento já está iniciado, a solidariedade lhe veio de uma forma bonita e diferenciada e a fé se alimenta exatamente destes pequenos gestos. Capazes de apontar que, no final do túnel, a luz é da vida, que sussurra seus encantamentos e faz jovens aprenderem o significado do sentimento mais nobre que existe: o amor pelo próximo.
Postar um comentário