sábado, 2 de abril de 2011

Dúvidas do revelar


Há momentos em que as palavras me faltam.
Tenho o sentimento,
tenho um arranjo mental,
que não se fundem na concretude
de acionar meus dedos,
deixar fluir o sentimento bloqueado.

Sinto-me incapaz de pensar uma imagem
- e todas elas estão lá.
De encontrar uma palavra -
e sei que elas também estão lá.
De brincar com um sentido.

É o sentimento de saber que
ao alinhar imagem, palavra, sentido,
estou revelando o que me é permitido.

Rebelo-me com a divindade
que só me permite alcançar o que deseja.
Mas, quando alcanço,
a sombra que se projeta na parede,
embriaga meus sentimentos.
E compensa cada instante da minha dúvida.

É neste momento
que a natureza parece sorrir,
de um modo estranho,
como se brincasse comigo.
Postar um comentário