sábado, 14 de setembro de 2013

Islamismo

Islamismo, Islã (português brasileiro) é uma religião abraâmica monoteísta articulada pelo Corão, um texto considerado por seus seguidores como a palavra literal de Deus e pelos ensinamentos e exemplos normativos (a chamada suna, parte do hadith) de Maomé (560-632, considerado pelos fiéis como o último profeta de Deus. Um adepto do islamismo é chamado de muçulmano.
Os muçulmanos acreditam que Deus é único e incomparável e o propósito da existência é adorá-Lo. Eles também acreditam que o islã é a versão completa e universal de uma fé primordial que foi revelada em muitas épocas e lugares anteriores, incluindo por meio de Abraão, Moisés e Jesus, que eles consideram profetas.2
Os seguidores do islã afirmam que as mensagens e revelações anteriores foram parcialmente alteradas ou corrompidas ao longo do tempo,3 mas consideram oAlcorão como uma versão inalterada da revelação final de Deus.4 Os conceitos e as práticas religiosas incluem os cinco pilares do islã, que são conceitos e atos básicos e obrigatórios de culto, e a prática da lei islâmica, que atinge praticamente todos os aspectos da vida e da sociedade, fornecendo orientação sobre temas variados, como sistema bancário e bem-estar, à guerra e ao meio ambiente.5 6
Em textos mais antigos, os muçulmanos eram conhecidos como "maometanos", este termo tem vindo a cair em desuso porque implica incorretamente, que os muçulmanos adoram Maomé (como, durante alguns séculos, por completo desconhecimento, o Ocidente pensou), o que torna o termo ofensivo para muitos muçulmanos. Durante a Idade Média e, por extensão, nas lendas e narrativas populares cristãs, os muçulmanos eram também designados como sarracenos e também por mouros .
O Islão ensina seis crenças principais:
1. a crença em um único Deus;
2. a crença nos anjos, seres criados por Deus;
3. a crença nos livros sagrados, entre os quais se encontram a Torá, os Salmos e o Evangelho. O Alcorão é o principal e mais completo livro sagrado, constituindo a coletânea dos ensinamentos revelados por Deus ao profeta Maomé;
4. Crença em profetas enviados à humanidade, dos quais Maomé é o último;
5. a crença no Julgamento Final, no qual as ações de cada pessoa serão avaliadas;
6. a crença na predestinação: Deus tudo sabe e possui o poder de decidir sobre o que acontece a cada pessoa.
Os cinco pilares do Islão são cinco deveres básicos de cada muçulmano:
1. a recitação e aceitação da crença;
2. orar cinco vezes ao longo do dia;
3. pagar esmola;
4. observar o jejum no Ramadã (nono mês do calendário islâmico. É o mês durante o qual os muçulmanos praticam o seu jejum ritual – calendário lunar);
5. fazer a peregrinação a Meca se tiver condições físicas e financeiras.
Os muçulmanos xiitas consideram ainda três práticas como essenciais à religião islâmica: além da jihad, que também é importante para os sunitas, há o"exortar o bem", que convoca todos os muçulmanos a viver uma vida virtuosa e encorajar os outros a fazer o mesmo; e o "proibir o mal", que orienta os muçulmanos a se abster do vício e das más ações, e também encorajar os outros a fazer o mesmo.19
Alguns grupos kharijitas existentes na Idade Média consideravam a jihad como o "sexto pilar do Islão". A maioria dos muçulmanos pertence a uma das duas principais denominações; com 80% a 90% sendo sunitas e 10% a 20% sendo xiitas. (Fonte: síntese de http://pt.wikipedia.org/wiki/Isl%C3%A3o)
Postar um comentário