sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Sonhos que sonhei

Apenas restaram as brasas no fundo da lareira.
Já tivemos um fogo mais forte,
com labaredas ardentes e ofegantes.
Mas o tempo deixou o calor
e a certeza de que o remexer nas brasas
despertam chamas temporárias.
Passou a vida, o tempo deixa marcas
que não gostaríamos de carregar.
Cada um de nós dormita na serenidade
do fogo que se apaga
e do vento que bate na janela.
Como é que a história poderia ser diferente?
Carregamos nosso destino
certos de que nunca perdemos a esperança.
Caminhar para o fim ainda é uma busca,
somente anula o sentido quando perdemos
aqueles que arrimam nossos sonhos.
Postar um comentário