quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Ao menos em nossas lembranças

Apenas a a solidão me faz companhia.
O silêncio somente é quebrado
pelo barulho de carros que passam ao longe,
ou por vozes que se perdem na noite.

Sei que, por sobre as nuvens,
a Lua reina faceira e faz companhia às estrelas.
Mas não as vejo, apenas distingo
o contorno de árvores e arbustos
por onde até o vento esqueceu de passar.

O friozinho das noites de Primavera
convida a caminhar, mãos nos bolsos,
tendo apenas como companhia
o murmurar dos insetos.

Neste momento especial, os perfumes se misturam:
De longe, a sedução da Orquídea,
Do pátio, o encanto do Jasmim,
Da vizinhança, o grito sufocado da Dama da Noite.

Há o encanto deste momento do dia
em que o não revelado é a provocação
para apenas andar, buscar caminhos,
pensar naqueles que, de alguma forma,
nos amaram e fazem companhia:
Ao menos em nossas lembranças.
Postar um comentário