domingo, 30 de abril de 2017

O fenecer da luz

Uma luz se apagou por detrás da janela.
A noite já ia longe.
Na esquina se formava a cerração da madrugada....
O frio decretou o silêncio que se acomodou por entre as pedras da rua.

Alguém sofrendo na angústia da solidão?
Uma mãe que varou a madrugada na cabeceira de um filho?
Um casal de amantes que agora se aconchega ao doce arfar do prazer de um sono?
As janelas são um mistério.
Quando veladas por uma cortina, preservam segredos.
E quando a primeira aragem agita o dia que vai chegando tornam-se murmúrios enlouquecidos a provocar olhares que fenecem com os primeiros raios de sol...

Postar um comentário