sábado, 17 de agosto de 2013

Doutrina espírita, Espiritismo ou Kardecismo

Doutrina espírita, Espiritismo ou Kardecismo é a doutrina codificada por Allan Kardec. Esta é baseada em cinco obras básicas, escritas por ele, através da observação de fenômenos que o mesmo atribuía a manifestações de inteligências incorpóreas ou imateriais, denominadas espíritos. A codificação espírita está presente em: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese.
O termo Espiritismo foi cunhado por Kardec em 1857 para definir especificamente o corpo de ideias por ele reunidas e codificadas no "O Livro dos Espíritos". Refere-se a uma doutrina que trata da "natureza, origem e destino dos espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal e as consequências morais que dela emanam", e fundamenta-se nas manifestações e nos ensinamentos dos espíritos. Também é compreendido como uma doutrina de cunho científico-filosófico-religioso voltada para o aperfeiçoamento moral do homem, que acredita na possibilidade de comunicação com os espíritos através de médiuns.
Na publicação do livro O que é o Espiritismo, o codificador a define como "uma ciência que trata da natureza, da origem e da destinação dos espíritos, e das suas relações com o mundo corporal”.
Embora o espiritismo tenha importado, a fim de estruturar de seu corpo de conhecimento, muito da metodologia científica, mostra-se importante ressaltar que ele desenvolve-se sobre princípios que transcendem os rigores dessa metodologia, de forma que vários dos resultados e fenômenos dentro do espiritismo entendidos como válidos perante sua metodologia própria não se sustentam frente à metodologia científica - essa estabelecida com base e princípios certamente mais rigorosos e restritivos.
Quando o termo ciência é usado com acepção estrita (acadêmica) tais extrapolações ao método cientifico, embora internamente úteis ao validarem vários preceitos da doutrina, impedem a classificação do espiritismo como ciência; e essa doutrina não constitui cadeira científica, mesmo compartilhando com a ciência de outrora o estudo de vários fenômenos, e nela encontrando-se por vezes referências frequentes a vários cientistas de renome.
O termo ciência a vigorar junto ao espiritismo caracteriza-se por acepção lata e não estrita na grande maioria dos casos, sobretudo na atualidade. O espiritismo pode ser visto como uma doutrina estabelecida mediante a fusão da ciência, filosofia e religião, buscando a melhor compreensão não apenas do universo tangível (científico), mas também do universo a esse transcendente (religião).
Contudo, embora constituindo em princípio uma questão científica plenamente válida, e embora muito explorada nos primórdios de nossa ciência atual, a existência de espíritos ainda transcende todos os paradigmas científicos atualmente estabelecidos; e a existência de espíritos não se encontra estabelecida, ao menos perante os rigores da metodologia científica moderna.
A parte os rigores científicos, a doutrina muito tem se expandido, e segundo dados do ano 2005, conta com cerca de 15 milhões de adeptos em diversos países, como, Portugal, Espanha, França, Reino Unido, Bélgica, Estados Unidos, Japão, Alemanha, Argentina, Canadá, e, principalmente, alguns países americanos como Cuba, Jamaica e Brasil, este, tendo uma das maiores proporções, com um considerável número de seguidores em sua população. Alguns nomes são tidos como continuadores da doutrina, e de fundamental importância para sua expansão, entre eles: Bezerra de Menezes, Chico Xavier, Divaldo Pereira Franco, Raul Teixeira.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Espiritismo (síntese)
Postar um comentário