quarta-feira, 6 de junho de 2012

Próxima eleição, uma mulher para prefeita?

Os prazos legais para a campanha eleitoral para prefeito e vereadores, em outubro, estão se intensificando e deixando alguns cada vez mais nervosos. Muitos setores preparam-se para fazer a mesma coisa: candidatos já conhecidos, com as promessas de sempre e nos levando a viver o que, hoje, estamos vivendo.
No entanto, há uma reação que se levanta silenciosa e tenta ocupar espaços em meio às tradicionais raposas dos meios políticos. Nos últimos tempos, vejo esta manifestação em meio aos jovens e às mulheres.
Em meio aos jovens, o grande número daqueles que participam das redes sociais vai fazer um grande diferencial. Até pouco tempo, entendíamos como "formadores de opinião" os meios de comunicação e aquelas pessoas que, de alguma forma, participavam da vida pública - políticos, educadores, religiosos, etc. No entanto, um fenômeno se levanta com a Internet, onde as informações facilmente são retransmitidas e transformam desconhecidos em pessoas públicas em curto espaço de tempo.
Por outro lado, vemos a entrada de mulheres - algumas guerreiras, preparadas, dispostas a dar uma nova cara à política. Já disse que o homem - ser masculino - é o responsável por tudo aquilo que aconteceu até aqui. E ficamos devendo. É hora de darmos a vez e a voz às mulheres. Quem sabe elas não consertam os nossos desmandos?
Eu creio que sim. Vejo candidaturas sendo apresentadas com chance de serem o novo do próximo pleito eleitoral, que têm escola no passado, mas que, hoje, planejam com uma visão mais ampla do que o futuro nos reserva. Em boa hora, vamos ter agradáveis surpresas, neste momento de grandes mudanças regionais, quem sabe dando uma nova esperança para Pelotas que merece ser tratada de uma forma melhor do que aconteceu até agora.
Postar um comentário