segunda-feira, 21 de março de 2011

Ponto para a Dilma

O Brasil já teve presidentes populistas. O primeiro foi Getúlio Vargas, que, mesmo sendo ditador durante a 2ª Guerra Mundial, depois de deposto, voltou ao cargo pelo voto direto. Outro nome populista foi Leonel Brizola, que conseguiu ser governador do Rio Grande do Sul e, depois de voltar do exílio, do Rio de Janeiro. O mais recente foi o presidente Lula, que marcou bobeira ao não comparecer ao almoço dos ex-presidentes com o presidente americano. Parece que ainda não se deu conta de que seu tempo como presidente já passou.
Mas, em contraste, está aí a presidente Dilma. Cumpriu todo o protocolo na visita de Obama, mas não deixou se seduzir pela tietagem. Sabe que visitas presidenciais, mesmo que o marketing carregue em algumas atividades sociais e culturais, são visitas de negócios. Especialmente com os Estados Unidos, muito dinheiro está ou estará envolvido.

Tenho que reconhecer que, embora já tenha afirmado que achava Dilma e Serra absolutamente insossos, o dia a dia tem mostrado uma mulher não somente competente, mas capaz de seguir a liturgia de um cargo que lhe coloca sobre os ombros imensas responsabilidades.
Ponto para Dilma. Poucos meses depois de empossada, recebe o presidente americano, com competência e elegância. Para o Brasil, é um bom sinal: depois de um Lula absolutamente atirado nos braços do povo, uma Dilma que demonstra estar no bom caminho, o que também se mostra na nossa economia e precisa dar reflexos na área social.
Postar um comentário