domingo, 10 de novembro de 2013

Seicho-No-Ie

Seicho-No-Ie - Lar do Progredir Infinito, numa tradução livre - é uma filosofia ou religião sincretista, monoteísta de origem japonesa. Enfatiza o não sectarismo religioso, as práticas de gratidão à família e a Deus, e o poder da palavra positiva que influencia na formação de um destino feliz e o universalismo. Surgiu em 1º de março de 1930 como revista de Cultura Moral, cresceu no pós-guerra no Japão, sofreu perseguição militar e foi transformada em religião. Nesta época, a sociedade japonesa viu desmoronar a religião oficial do Estado, baseada na crença na divindade do imperador e uma das bases da ideologia militarista. Nesse vácuo ideológico e espiritual surgiram ou cresceram inúmeras seitas e religiões, entre elas a Seicho-No-Ie. Esta contribuiu para a revitalização da religiosidade, incentivando seus adeptos à prática de suas religiões de origem.
A Seicho-No-Ie foi fundada por Masaharu Taniguchi (1893–1985) e se mundializa a partir da II Guerra Mundial. Seu conjunto doutrinário incorpora elementos do cristianismo, do budismo e do xintoísmo - três grandes religiões presentes no Japão, representadas no seu símbolo oficial respectivamente pela estrela verde no centro, pela cruz gamada branca intermediária (Lua) e pelo círculo vermelho externo com suas 32 flechas (Sol). A Verdade essencial da Seicho-No-Ie é: "O Homem é Filho de Deus" e, sendo assim, é herdeiro de todas as dádivas dele. Basta apenas que se conscientize disso para manifestar no mundo material a sua perfeição.
Para isso, há várias práticas adotadas pelos praticantes da Seicho-No-Ie, sendo as mais importantes: Prática da Meditação Shinsokan (que, numa tradução livre, significa "ver e contemplar Deus"); Leitura de Sutras Sagradas e palavras da Verdade; Prática de atos de amor e caridade. A Seicho-No-Ie também estuda as "leis mentais", das quais se destaca a lei "Os semelhantes se atraem" - Lei da Atração.
Normas Fundamentais dos Praticantes da Seicho-No-Ie: 1ª) Agradecer a todas as coisas do Universo; 2ª) Conservar sempre o sentimento natural; 3ª) Manifestar o amor em todos os atos; 4ª) Ser atencioso para com todas as pessoas, coisas e fatos; 5ª) Ver sempre a parte positiva das pessoas, coisas e fatos, e nunca as suas partes negativas; 6ª) Anular totalmente o ego; 7ª) Fazer da vida humana uma vida divina e avançar crendo sempre na vitória infalível; 8ª) Iluminar a mente, praticando a Meditação Shinsokan todos os dias sem falta.
A Doutrina da Seicho-no-iê é alicerçada nas escrituras de Masaharu Taniguchi, sendo as mais importantes entre os adeptos, a "Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade" e a Coleção "A Verdade da Vida", composta por 40 volumes, que sintetiza as pregações de Taniguchi. Estas obras são publicadas pela Seicho-no-ie do Brasil.
Verdade Vertical: Só Deus e o que Ele cria existem verdadeiramente, ou seja, não tem início nem fim, é eterno, infinito (Ele é o Bem, o Criador, a Verdade, Jissô (Imagem Verdadeira), etc.). Como o homem (na sua essência espiritual) também é criação de Deus, ele possui a mesma natureza infinita de Deus. Daí vem a principal convicção do adepto da Seicho-No-Ie: "O Homem é Filho de Deus".
Verdade Horizontal: O mundo material é projeção da mente humana; o mal não existe, ou seja, tem início e fim, é efêmero, não é eterno, é finito (ele é apenas criação da mente humana). Da mesma forma, a doença, a morte, o envelhecimento e os pecados também não existem porque são derivações desse mesmo mal (ilusões da mente humana); Todas as coisas perceptíveis aos cinco sentidos e também ao sexto sentido não são existências reais porque não têm a mesma natureza perfeita de Deus. Elas são, portanto, projeções da mente humana (ilusão) que constitui a causa dos sofrimentos humanos.
Jissô: A realidade absoluta, transcendental, o ser verdadeiro, absoluto, eterno e perfeito, constituído de ideia de Deus; a Essência do ser.
Postar um comentário